post

Aplicativos móveis estão em posição de destaque por uma simples razão, eles conectam o seu negócio diretamente com o cliente.

É por esse motivo que muitas empresas estão desenvolvendo seus próprios aplicativos, a fim de oferecer um contato direto com o cliente e poder comercializar seus produtos ou serviços com agilidade.

O desenvolvimento de app requer uma série de análises e pesquisas prévias. Pois, isso irá evitar problemas futuros e deixará você mais ciente dos processos que terá que realizar. Então, por mais que você queira partir para a execução imediatamente é, economicamente até, mais vantagem para seu negócio seguir os seguintes passos.

1. Fazer um rascunho do aplicativo

O rascunho é uma das peças fundamentais para o desenvolvimento do aplicativo. É a partir dele que o empresário consegue ter acesso a todas as telas, modificar a interface, entre outras confirmações.

Faça um rascunho completo de seu aplicativo, descreva a aparência da interface, as informações mais importantes e coloque tudo o que você deseja no aplicativo. Essas referências ajudarão no desenvolvimento do aplicativo.

Portanto, este perfil fornece um ponto de partida para a construção de aplicativos. Incluindo o processo de navegação do usuário e os recursos que estarão disponíveis.

Com eles, o desenvolvedor ou empresa de desenvolvimento de aplicativos vai dizer o que é viável ou inviável, o que deve ser priorizado ou utilizado, principalmente quanto custará sua ideia.

2. Definir o que quer e fazer esboços gráficos

Todos os projetos precisam de um esboço, e, por conseguinte, de um protótipo, e não é diferente quando falamos sobre desenvolvimento de aplicativos.

Wireframes são ferramentas que ajudam a estruturar o desenvolvimento de aplicativos.  Sendo assim, são fundamentais no processo de criação de aplicativos, bem como determinam quais serão as tecnologias que melhor atenderão a essa demanda.

O wireframe é um protótipo dentro de um processo de desenvolvimento de aplicativos. Ou seja, pode incluir esboços e layouts simplificados. Esses representam a possibilidade real de atender a expectativa que envolve o desenvolvimento do aplicativo. Sendo assim, o wireframe é uma forma primitiva do visual do projeto, como também de sua funcionalidade.

3. Colocar no papel requisitos iniciais e futuros

Construir aplicativos é uma coisa muito empolgante. É tentador entrar em um novo projeto e começar a codificar. No entanto, alguns requisitos básicos devem ser esclarecidos antes de começar a criar um aplicativo.

Você não quer construir algo que ninguém quer usar, quer? Portanto, algum planejamento, verificação e priorização devem ser feitos antes mesmo do início da codificação.

Transforme essas ações ou etapas em recursos. Faça um brainstorm de ideias para cada estágio do projeto a qualquer momento. Isso fornece muitos recursos que podem ser implementados em diferentes estágios do processo de solução de problemas.

A verdadeira questão é qual recurso começar a usar. Você precisa começar com os recursos mais críticos essenciais para a solução e criar uma lista de prioridades para cada estágio.

4. Escolher as tecnologias do aplicativo

A tecnologia escolhida é um dos fatores que determinam o sucesso ou a falha de um aplicativo da web em potencial. 

O desenvolvimento pode ser um processo difícil e arriscado, porque o projeto de produtos de software não deve apenas ter uma interface de usuário conveniente e UX atraente, mas também garantir que o produto seja estável, seguro e fácil de manter. 

Portanto, seus produtos da web não devem apenas ser aceitos pelos clientes, mas também permitir que você se expanda e se ajuste de acordo com as necessidades do negócio.

Desenvolvimento front-end e back-end

Algumas ferramentas comuns usadas no design de front-end incluem HTML (Hypertext Markup Language), CSS (Cascading Style Sheet), JavaScript e TypeScript, etc. Além dessas ferramentas de programação de app, os desenvolvedores geralmente escolhem estruturas especializadas (essas estruturas são pacotes pré-escritos com código padrão) para ajudar a criar interfaces impressionantes.

Em termos simples, o back-end se refere a todos os componentes lógicos que garantem o funcionamento do aplicativo, mas não inclui as partes “visíveis” com as quais os usuários podem interagir. De acordo com a classificação mais comum, o back-end consiste em um servidor web, aplicativos de back-end e bancos de dados implantados nesse servidor.

Dependendo de suas necessidades e recursos disponíveis, você pode escrever aplicativos de servidor em Python, Java, Ruby, C ++, Go, Erlang ou várias outras linguagens (se forem mais adequadas para você). 

Você pode escolher entre várias bibliotecas e estruturas de desenvolvimento da web sem ter que desenvolver aplicativos de servidor do zero, o que facilita o desenvolvimento.

5. Escolher o sistema operacional do aplicativo

Os aplicativos transformaram o mundo móvel em outra coisa. Os principais sistemas operacionais (iOS-Apple, Android-Google e Windows Phone-Microsoft) têm uma ampla gama de escolhas e possibilidades. Uma boa escolha pode significar expandir a possibilidade de uso.

O primeiro exemplo é a App Store da Apple no iPhone, que é a primeira no segmento de mercado, mas ainda uma das lojas mais funcionais. 

Os aplicativos disponibilizados pela “iPhone Store” vão desde jogos amadores básicos até ferramentas que podem te ajudar a tirar fotos e melhorar seu desempenho físico, oferecendo uma ampla gama de serviços para fãs inventados pela marca Apple e a comodidade do iOS. 

O que chamou a atenção das pessoas é que aplicativos fáceis de comprar também podem ser usados ​​em vários dispositivos Apple. Obviamente, essa integração amplia ainda mais as possibilidades dos usuários dos equipamentos produzidos pela marca.

O Google Play fez uma proposta semelhante à da Apple Store. Depois de mudar o nome, a gigante das pesquisas concentrou todos os seus produtos em um só lugar, o que mudou muito a experiência de compra do usuário.

Outro fator que contribui para o rápido crescimento da proposta é um grande número de telefones Android (ou seja, o sistema operacional Google), com foco na série Samsung Galaxy. Curiosamente, a loja oferece uma ampla gama de jogos e aplicativos, seja para trabalho ou entretenimento, todos eles facilitam a vida de usuários em diversos segmentos.

Aplicativo Híbrido

O aplicativo nativo é como se fosse a base de todos os aplicativos, uma vez que foi a primeira forma de criar aplicativos. Contudo, ainda é a única maneira pela qual um desenvolvedor de aplicativos constrói uma linguagem voltada para uma única plataforma.

Sendo assim, através do recurso nativo o desenvolvedor de aplicativos direciona o projeto para o sistema iOS ou Android.

Embora no desenvolvimento nativo não haja a possibilidade de compartilhar o código, para o desenvolvedor de aplicativos isso pode ser uma força ao invés de uma fraqueza.

Uma vez que construir um aplicativo direcionado para a plataforma escolhida aumenta a qualidade do produto oferecido ao cliente.

A linguagem difere-se entre os sistemas, o que exige que o desenvolvedor de aplicativos dedique exclusividade para essa demanda.

Características do aplicativo Nativo

Assim sendo, o aplicativo nativo é mais confiável que os outros.  Uma vez que o sistema nativo oferece uma experiência otimizada ao usuário, já que o aplicativo ocupa a totalidade do seu ambiente.

Os recursos oferecidos pelos smartphones ficam mais funcionais, através da utilização de aplicativos nativos.

Ao realizar a programação de um aplicativo nativo, o desenvolvedor de aplicativos segue um padrão de design. Sendo assim, os desenvolvedores utilizam o IDE, que se trata de um Ambiente de Desenvolvimento Integrado.

Esse ambiente oferece ferramentas para a construção desses aplicativos, e tornam o processo agilizado.

Embora essa plataforma solicite um pouco mais de orçamento dentro do projeto, é muito viável para aplicativos de alta demanda. Por exemplo, WhatsApp, Waze e Uber fazem uso do desenvolvimento nativo.

6. Decidir quem vai desenvolver o aplicativo

Como você sabe, as taxas horárias de desenvolvimento de software podem variar dependendo do nível do engenheiro.

Se o seu produto é bastante simples (por exemplo, uma página de destino ou um aplicativo simples), o desenvolvedor de software júnior é capaz de conquistar essa tarefa. 

No entanto, se você quiser recursos mais complicados (por exemplo, integração de pagamento), terá que contratar um desenvolvedor mais qualificado. 

Quanto mais complexo o seu projeto se torna, mais engenheiro qualificado você precisa. O mercado de TI moderno oferece muitas oportunidades para contratar um bom desenvolvedor de software. Os mais populares são os desenvolvedores freelancer, equipes internas e empresas de desenvolvimento de terceirização.

Quer saber mais sobre como criar um app?

Conte com a Doutbox!

O desenvolvimento de aplicativos é um ciclo evolutivo e um processo bem trabalhoso. Sempre é preciso implementar e atualizar suas funcionalidades de acordo com os usuários.

Por isso, conte com a Doutbox para te auxiliar em todas as etapas do desenvolvimento do aplicativo!

Ajudamos as empresas a criar conexões significativas com seus clientes e colaboradores por meio de experiências de software personalizadas para telefones, tablets e produtos inteligentes.

Solicite um orçamento com a nossa equipe e desenvolva o melhor para o seu negócio.

Enviar uma mensagem

Nós adoraráriamos ajudar. Por favor forneceça alguns detalhes e nós entraremos em contato em breve.